Raça Brangus conquista seu espaço no mercado

Criada em 1912 nos EUA, através do cruzamento do Angus com o zebu, o Brangus alia a qualidade da carne, precocidade e acabamento da carcaça da raça taurina com a rusticidade e resistência da zebuína.

Raça Brangus conquista seu espaço no mercado

Qual é a melhor raça bovina? Essa é primeira pergunta que vem à cabeça do produtor quando decide investir em pecuária. A resposta será sempre a mesma: todas. A pecuária brasileira vive um momento ímpar de evolução, que oferece ao pecuarista muitas opções. Mas a resposta à pergunta vai depender do foco do produtor rural, dos seus objetivos comerciais, do relevo da sua propriedade e do clima da região.

Para o pecuarista que deseja aumentar sua rentabilidade agregando qualidade à sua produção, o Brangus é uma das raças que vem se destacando entre os criadores. Fruto do cruzamento de zebu com o Angus, a raça reúne a rusticidade e resistência ao clima brasileiro do zebu e a precocidade e maciez da carne taurina do Angus.

CARACTERÍSTICAS DA RAÇA
Formada para unir a rusticidade das raças zebuínas (resistência a parasitas, tolerância ao calor, habilidade materna) com as vantagens do Angus (qualidade da carne, precocidade sexual, elevado potencial materno), o Brangus apresenta-se como uma raça completa. Entre as vantagens do animal estão os partos facilitados; altos pesos na desmama e no sobre-ano; grande ganho de peso, tanto em pasto como em confinamento; fêmeas de reposição com puberdade precoce, enxertando aos 15 meses; além de carne suculenta e macia, que atende aos mais exigentes paladares.

Na região Oeste do Paraná, o advogado cascavelense Antônio Figueiredo, proprietário da Cabanha Boitatá, é um dos pecuaristas que há anos investe na seleção genética da raça. Com propriedades em Lindoeste, Realeza e Três Barras do Paraná, ele se dedica desde 2003 ao desenvolvimento de reprodutores e matrizes. “A base do nosso plantel veio de embriões de grandes campeões Brangus. Isso nos trouxe uma boa evolução e nos possibilitou atingir um nível de qualidade que nos habilita hoje a oferecermos nossos reprodutores ao mercado”, afirma Figueiredo.

O trabalho da Cabanha Boitatá gerou touros adaptados ao clima e relevos montanhosos, com consistência genética e rusticidade.  Há alguns anos, esse trabalho com o Brangus vem se destacando e conquistando prêmios, como na Expo Campo Grande deste ano, onde a cabanha conquistou as premiações de Grande Campeã Individual Rústica, Suprema Grande Campeã Rústica, Trio Reservado Campeão Bezerra, Campeão Individual Rústica Novilha Menor, Reservada Campeã Individual Rústica Novilha Menor.

Figueiredo afirma que esse reconhecimento se deve ao excelente espaço que o Brangus está conquistando nos últimos anos. “Hoje, a sinalização do mercado de carnes aponta o bezerro cruzado como o produto mais procurado por confinadores e, por isso, mais valorizado na venda”, salienta. Outro fator muito favorável é a rusticidade dos touros, que possibilita a cruza através da monta no campo.

LEILÃO TOP BOITATÁ
Desde 2016, a Cabanha Boitatá oferta o melhor da sua genética no Top Leilão Brangus, que acontece durante o Show Pecuário, evento realizado pelo Sindicato Rural de Cascavel e Sociedade Rural do Oeste do Paraná. O leilão, que acontece no dia 23 de julho, chega à sua 4ª edição em 2019 e ofertará os 50 melhores reprodutores da cabanha. “Sem dúvida será uma grande oportunidade para o pecuarista que busca rentabilidade e qualidade para seu plantel”, enfatiza Antônio Figueiredo.

Fonte e foto: Revista SindiRural

Lobo DesignBrangus